quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Dia do Mamaço

Desafio Internacional de Amamentação

Será realizado no este ano no parque da Água Branca, São Paulo - SP, dia 02/10/2010 - Sábado
No ano passado foram 50 mães que as 11 horas colocarão os seus bebês para mamar lindamente para foto,
esse ano esperamos a sua presença para superar esse numero.


Será uma manhã muito gostosa e ensolarada e sortearemos brindes.

Para ficar mais aconchegante pedimos para as mamães levarem cangas, toalhas.... para forrar a grama.

Parque da Água Branca no café orgânico.

Concentração 10h30 e MAMAÇO as 11h

O desafio é uma idealização da Fundação Quintessence que promove todo ano o Desafio Internacional de Amamentação.

Dúvidas, sugestões, críticas e tudo mais, vocês podem entrar em contato via email: fcassab@gmail.com ou pelo telefone 011 96223737.

Vamos mostrar que em Sampa, nós mulheres maternas temos muito peito!


Retirado de: http://www.aleitamento.com/a_artigos.asp?id_artigo=2359 em 30/09/10

Como solucionar as principais dificuldades da amamentação

No momento do aleitamento materno, conforto é a palavra-chave. A dica é da nutricionista Vanessa Paz Lima, coordenadora do Centro de Referência Estadual em Bancos de Leite Humano do Piauí, que liderou estudo sobre as principais intercorrências mamárias registradas no período pós-parto. A pesquisa avaliou as dificuldades enfrentadas por 1,8 mil mulheres que deram à luz entre fevereiro e março de 2010, em Teresina. Os resultados são proporcionais à tendência nacional e serão apresentados no V Congresso Brasileiro / I Congresso Iberoamericano de Bancos de Leite Humano, que acontece em Brasília, de 28 a 30 de setembro.



O estudo informa que 435 das 1,8 mil mulheres avaliadas – o equivalente a 24% das lactantes – apresentaram problemas durante a amamentação. As principais dificuldades registradas foram mama demasiadamente cheia (24,8%), baixa produção de leite (21,6%), dificuldade na pega do bebê (15,4%) e fissura do bico do seio (16,8%). Vanessa explica que a melhor maneira de evitar esses problemas é procurar a orientação de profissionais durante o pré-natal e participar de cursos e oficinas para gestantes.

Soluções simples

Mama cheia – Para aliviar a sensação dolorida provocada por mamas demasiadamente cheias, o Ministério da Saúde recomenda massagens circulares na área da auréola do seio. Após a massagem, a mãe pode extrair o leite excedente e encaminhar o produto ao Banco de Leite Humano mais próximo de sua casa. Após rigoroso controle de qualidade, o alimento será destinado a recém-nascidos internados em unidades neonatais. Para doar leite humano é preciso estar bem de saúde e não usar medicamentos que impeçam a doação. Orientações estão disponíveis aqui.



Fissura – Para prevenir rachaduras no bico do seio a principal recomendação é a adequação do posicionamento do bebê durante o aleitamento. Quando a fissura for identificada, a mulher deve hidratar a região com o próprio leite. Melhoras significativas são registradas em até 24 horas.



Posicionamento do bebê – Durante o aleitamento materno, o bebê deve estar bem apoiado, com a cabeça acomodada na curvatura do braço da mãe e o corpo alinhado ao dela. O conforto é essencial para este momento tão especial da relação entre mãe e bebê. Por isso, escolha um local tranquilo, concentre-se e evite interrupções.




Publicado em 27/9/2010.

Escrito por Bel Levy
Retirado de: http://www.fiocruz.br/ccs/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=3557&sid=9

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Por que amamentar dá sono?

Agora estou lendo o livro "Os segredos de uma encantadora de bebês".

Não sou muito fã de livros de auto-ajuda mas, lendo com parcimônia, é possível aproveitar um bocado de informações. Dentre elas, li um quadro sobre "Soluções para os problemas de amamentação" na página 131 e vi que o que causa aquele sono louco durante a mamada, entenda-se: sono louco na mãe hehe, além da falta de dormir e do cansaço, é culpa da sobrecarga de oxitocina (hormônio secretado durante a amamentação) no sangue da mãe.

Este hormônio, que também é secretado durante o orgasmo, provoca um sono "doido" fazendo, muitas vezes, a mãe dormir enquanto amamenta, o que não é bom, pois nessa pode-se deixar o bebê cair (conheço alguns casos).

Eu já dormi, mas não derrubei a Marina graças à almofada de amamentação (ufa!)


A encantadora orienta apenas a mãe a descansar mais (ah, vá!) pois não há o que fazer com o hormônio...

Amamentar é fácil? Não é não!

Ontem passamos um dia difícil aqui.

Tomei um chá mate pela manhã e a Marina não dormiu o dia todo.
Além disso, a porcaria do meu soutien prendeu novamente minha mama de madrugada, não percebi e, após a Marina mamar, percebi que aquela parte que ficou presa empedrou. Às seis da manhã meu peito começou a ficar quente e a doer demais!!! Para completar o dia, passamos um fim de semana corrido e não me alimentei direito. Ainda não falei sobre minha briga com a balança mas, quando me dei conta, estava passando mal de fraqueza e aí vi que perdi 2Kg nesses últimos 3 dias.

Amamentar realmente não é fácil.
Outro dia li na Veja que a atriz Ingrid Guimarães disse que as campanhas de amamentação deveriam ser mais realistas, pois por pouco que ela não consegue amamentar. E realmente não é fácil.
Entregar-se à outra pessoa, fazendo-a depender exclusivamente de você é uma tarefa árdua. É compensador, mas não é fácil.

Imagine-se na situação do bebê. Você fica com fome e fica na dependência de alguém te dar comida. Só que a comida varia, tem dia que sai fácil, tem hora que o peito está tão cheio que você engasga, tem dia que tem que fazer uma baita força para sair um jatinho... vida de bebê que mama no peito não é fácil...

E a vida da mamãe também! Você precisa esquecer do seu corpo, pois precisa comer bem. No meu caso ainda é um pouco mais complicado, pois tenho IMC 18 e emagreço muito fácil, então se não como MUITO bem, começo a me sentir fraca, minhas pernas começam a tremer e a visão fica turva. E eu fiquei assim novamente ontem.

Outro agravente é que não posso tomar leite e derivados (por conta da possível intolerância da Marina) o que reduz muito minhas opções de alimento.

Ah, o empedramento Marina conseguiu resolver para mim por volta das 13h, quando ela mamou, mamou, mamou e finalmente saiu. Nesse meio tempo, tomei banho quente, tentei ordenhar, não saía nada, tive que ficar sem soutien, pois não aguentava mais a dor, aí fiz compressa fria, pois começou a encher demais depois do banho quente, então anestesiou um pouco e a Marina mamou e desimpedrou. Mesmo assim está dolorido até agora.

Por um momento achei que não daria mais conta de amamentar a Marina. Estava cansada, me sentindo fraca e com muita dor na mama por conta do empedramento. Chorei muito.

Fomos dormir por volta da meia-noite (hora que a Marina dorme) e aí só acordamos às 6 da manhã, Marina mamou e dormiu até às 10h. Aí resolvi escrever aqui no blog.

Realmente amamentar não é nada fácil e só quem amamenta sabe disso. Tem gente que tem medo do parto. O parto é facil. Difícil é depois. Mas continuarei na minha missão firme e forte.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

O meteoro foi um pico de crescimento

A Marina está mamando tanto que eu mal consigo tirar leite para doar! Ela está mamando tudo e mais um pouco. Só que já percebi que ela perdeu o final das roupas P, as M estão ficando apertadas e tive que mudar o tamanho da fralda. Segunda vamos ao pediatra para pesar e medir, aí então terei certeza.

Pelo jeito meus dias de 500g no restaurante à quilo ocorrerão mais vezes...



Ah, voltei neste post para publicar: a Marina passou de 54,5cm para 59cm em um mês e está ganhando uma média de 800g/mês. Fácil né?

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Acho que um meteoro passou por aqui...

Tem uns dias que eu não sei o que acontece com a Marina. Ela resolve grudar no peito e não há quem tire. Mama até os dois peitos de uma vez! Será que são os tais picos de desenvolvimento? O mais engraçado é que o Arthur, meu afilhado que tem dois dias a menos que a Marina tem essa crise sempre no mesmo dia que ela. Eu e a minha cumadre Aline costumamos dizer que é um meteoro que passa aqui no bairro e deixa as crianças assim!

Ainda não percebemos se após essas "crises" algo acontece depois com o desenvolvimento ou então não soubemos perceber...

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Grupo Cria


Mãenifesto



Manifestamos pelo direito de amamentar a cria, sem ser pressionada por profissionais da saúde mal formados ou parentes bem intencionados, a substituir por mamadeira, o alimento que só o seu peito pode dar.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Nariz entupido

Antes de ontem a Marina acordou com o nariz entupido. Ninguém merece um bebê de 3 meses que só mama no peito ficar assim! Sei que existem muitos problemas maiores por aí, bebezinhos realmente doentes e, por isso fiquei pensando como será que estas mães ficam, pois é muito difícil lidarmos psicologicamente com as doenças dos nossos filhotinhos...

Bom, passadas as primeiras três horas de desespero, achei que teria que pensar em algo para ela melhorar. Liguei para o médico que receitou um medicamento homeopático, mas sabia que a coisa ia longe. Até que a Marina quis mamar e aí o bicho pegou. Não dá para mamar com o nariz entupido! Aí foi aquele berreiro!

Seguindo a cartilha do Ministério, lá fomos com o copinho. Não deu certo. Segunda opção: colherzinha. Até foi um pouquinho, mas não rende nada e ela ficou mais nervosa ainda.

Lembrei dos meus dias de nariz entupido e tentei fazer algo semelhante com ela.

Parte 1: Soro fisiológico no nariz. Marina bem brava! Mas falei para ela que a vida não é fácil mesmo.

Parte 2: Mamar sentada. Ninguém consegue comer deitado, ainda mais com o nariz entupido. Como ela não consegue ainda sustentar as costas, coloquei-a de lado, mas sentadinha, apoiando as costas dela (como se fosse mamar deitada, só que mais em pé). Mamou. Parava para respirar um pouco mas mamou.

O tempo estava muito seco e eu sabia que ela pioraria, então, fomos dormir juntas no sofá-cama da sala. Então, pensei que, se fosse realmente um resfriado, ela perderia o apetite e poderia se desidratar e até mesmo perder peso. Então, acordei-a de hora e meia em hora e meia (isso quando ela não acordava afogada por conta do nariz entupido, ou então tossindo) para mamar sentadinha nem que fosse um pouquinho. Antes de cada mamada eu espirrava soro no nariz dela, para tirar as casquinhas e fuidificar um pouco o muco.

Pela manhã, eu estava atropelada. Mas a Marina estava hidratada e alimentada, então a chance dela se recuperar logo era grande. Dei um banho de chuveiro nela e deixei o vapor desentupir o narizinho.  Meu marido fez isso novamente com ela à tarde. Mamou novamente e dormiu.

Passamos o dia ainda meio complicado, mas o medicamento também foi fazendo efeito e ela foi melhorando. Deixei uma toalha molhada na sala e o umidificador ligado o dia todo.

Na noite seguinte, o nariz entupiu de novo. Mas dessa vez o soro não resolveu. Fomos para o chuveiro novamente e ela mamou lá mesmo, pois com o calor o leite sai mais fácil (ela não precisa fazer tanta força) e o vapor desentope o nariz. Dessa vez, como eu estava morta de cansaço, coloquei-a no carrinho no meu quarto. O bom do carrinho é que a cabeça fica um pouco mais alta e facilita a respiração.

Pelo jeito deu certo. Dormiu à meia-noite e tive que acordá-la às 8 e meia para mamar. Mamou direitinho, o nariz parece que melhorou um pouco mais. Vamos ver como passamos o dia de hoje, pois agora são 10h40 e a Marina ainda está dormindo...

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Por quê amamentar é tudo de bom?

Quando você vê, ainda no hospital, aquele serzinho que estava tão guardadinho na sua barriga e percebe o quão indefeso é, você o pega no colo e percebe que ali ele se sente confortável, você se impressiona como este pequeno se aninha em você, parece que te conhece há séculos e você, ali, meio estranha, sem saber nem como pegar direito, tenta aconchegá-lo como se pudesse dizer: olha, não sei muito bem como fazer mas, estou aqui!

Então te dá uma sensação de bem-estar tão grande quando você consegue retribuir isso amamentando, que você esquece da dor do parto, da dor dos cortes, dos mamilos, das costas e de tudo mais o que dói quando sai do parto...pois, ele se acalma no seu peito, seus hormônios te ajudam dando a sensação de bem-estar...

Depois de mamar, ao sentir aquelas mãozinhas te segurando, as bochechas em seu peito e o semblante de paz daquele serzinho aí os hormônios ajudam novamente, dá vontade de protegê-lo e aí é a melhor sensação do mundo porque ele está feliz por se sentir alimentado e protegido ouvindo o batimento do seu coração (como na barriga) e você por poder proporcionar tudo isso à ele.

É difícil de explicar esses sentimentos mas só sei que dar um colinho depois de mamar também é tudo de bom!

E é impressionante como essa relação de "alimentação" cria um vínculo fortíssimo entre você e o pequenino. Você percebe na troca de olhares. É algo realmente indescritível.

Caso um dia você sinta isso também, não tenha medo, entregue-se à estas sensações, pois faz bem, traz paz à alma e acredito que faça também diferença ao pequeno, que será uma criança criada com amor e, com certeza, será um adulto feliz que saberá amar e dar carinho aos seus. É uma troca de carinho realmente alucinante que se estende até nas brincadeiras quando eles estão ficando grandinhos e começa a te retribuir com sorrisos, aí não tem dinheiro que pague!
Muitas vezes as pessoas têm medo de se entregar, pois no fundo no fundo, muitas pessoas têm medo de se magoar um dia, mas esta não é qualquer relação, não é um namoro. Acho que este é o amor de mãe.

Acredito que tenho todas essas sensações porque também fui criada assim. E o negócio é esse: passar para frente esse carinho para que o mundo seja um pouco melhor a cada geração.
Estou criando a Marina para o mundo e me preparei para isso antes de engravidar mas não tenho medo de me entregar à esta relação e espero que, um dia, ela possa ser um adulto feliz e ter essa mesma sensação que eu quando meus netos vierem...


Para mais: http://guiadobebe.uol.com.br/amamentacao/amamentar_e_ter_afinidade_com_o_bebe.htm

sábado, 4 de setembro de 2010

O que é livre demanda

Ontem tirei uma dúvida com a pediatra neonatologista especialista em aleitamento materno (a que levei a Marina na época das cólicas) e ela me deu a "definição" de livre demanda que há tanto tempo eu procuro. Muito simples:

Aleitamento materno à livre demanda, significa amamentar todas as vezes que ela ou você quiserem.

Um post que achei interessante no blog Materna SP, veja um trechinho para dar vontade e depois leia na íntegra: Livre demanda: o que é realmente

"... Livre demanda significa em qualquer momento, sem olhar o relógio, sem pensar no tempo, tanto se o bebê mamou faz 5 horas quanto se mamou faz 5 minutos. Mas, como pode ter fome aos cinco minutos? Imagine que está criando o seu filho com mamadeira. Ele costuma tomar 150ml e, de repente, um dia, o bebê só toma 70 ml. Se aos cinco minutos, parece que tem fome, você dá os 80 ml ou pensa: “Como pode ter fome se faz só cinco minutos que tomou a mamadeira?”. Tenho certeza que todas as mães dariam a mamadeira sem duvidar um único minuto..."

"...de fato, muitas passariam mais de uma hora tentando meter a mamadeira na boca do bebê a cada cinco minutos. Pois bem, se um bebê solta o peito e ao cabo de cinco minutos parece ter fome, pode ser que só tenha mamado a metade. Talvez tenha engolido ar e se sentia incômodo e agora que arrotou já pode continuar mamando. Talvez tenha se distraído ao ver uma mosca e agora a mosca já se foi e ele percebeu que ainda tem fome. Talvez tanha se enganado, achou que estava satisfeito e agora mudou de opinião. Em todo caso, só esse bebê, nesse momento, pode decidir se precisa mamar ou não..."


Visitas e amamentação

Eu sabia, antes de engravidar, que visita poderia ser um problema no sentido de ter que dar atenção, oferecer um café e tudo mais. Nunca imaginei que poderia ser um problema para amamentar. Achei que era só cobrir o bebê e o peito e pronto.

No entanto, decobri que bebê gosta de paz para mamar.

Imagine só, você fazendo uma refeição no meio de um festerê o dia inteiro, inclusive na hora em que você quer dormir. Fiquei imaginando a reverberação da minha voz e da voz das outras pessoas no ouvidinho dela enquanto ela faz a maior força para sugar o leite. Fora a pressa que a gente fica do bebê mamar logo para que as visitas o vejam e para poder dar mais atenção à elas.

Não é à toa que, depois de umas festinhas que fui ou depois de uma ou mais visitas no mesmo dia em casa, ela ficava agitada, mamava me machucando e demorava a dormir.

Até a gente fica cansado depois de uma festa. Imagina só: eles, que nem sabem o que é festa ou visita, não se divertem, não conhecem ninguém além de sua mãe e seu pai. Só cansa. Fiz a seguinte analogia: é igual à irmos à uma festa muito chata que você não pode ir embora e ainda tem um chato na sua mesa falando sem parar com um garçom querendo tirar seu prato toda hora e, você, com sono não pode ir para casa dormir.

Para que o leite saia direitinho, é preciso olhar o bebê, é preciso o toque dele. E isso não é invenção, é ciência. Veja:

Quando minha avó materna telefona aqui em casa ela pergunta: está dando de mamar? Se digo que sim, então ela desliga. Ela já havia me dito que a hora de mamar é do bebê e que eu não devo ficar conversando. No começo achava que era exagero. Hoje dou toda razão à experiência dela, que também amamentou na época que não existiam fórmulas industrializadas, era o peito e pronto.

Em um ambiente tranquilo, o bebê mama mais e com mais calma e você aproveita o momento.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Como fazer para aumentar meu leite ?

Os alveolos mamários , são as glandulas responsáveis pela produção de leite , elas são ativados pela prolactina , que é um hormonio proveniente do hipotálamo , essa parte do cerebro trabalha constantemente , porem no período de sono ele consegue ser mais ativa, portanto liberamos mais prolactina em momento de sono ( coisa que é difícil quando temos um recem nascido em casa ).

A prolactina é liberada durante uma mamada , para que seja produzido leite para a próxima mamada, por isso é importante a manutenção de uma rotina , não devemos pular mamada , pois essa atitude diminui a produção.

A produção de leite está diretamente relacionada a ingesta de líquido , necessitamos ingerir no mínimo 3 litros de líquido no dia. de preferencia 500 ml durante o momento da mamada ( momento esse em que a boca fica seca). o Rn deve sugar um seio por mamada , ele só alcança o leite posterior após os 15 minutos de suçção , não devemos trocar de seio .

A ansiedade, o estresse, a fadiga , a sensação de impotencia , fazem com que o corpo diminua a produção de prolactina e ocitocina. A ocitocina é a substancia que causa a ejeção do leite. sem essa substancia o leite fica retido nos alveolos podendo causar engurgitamento.

Dicas para amamentar

- dormir no mínimo 6 horas no período de 24 h

- Manter-se tranquila na medida do possível , procurar ajuda se necessário

- Ingerir 3 litros de líquido por dia

- Receber o estímulo da sucção do RN de 3/3 h

- o RN deve sugar um peito por mamada até o final, em torno de 30 minutos, sem que se faça revezamento.
 
Retirado de:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...