Programa incentiva amamentação nas creches - Prefeitura Municipal de Curitiba

Programa incentiva amamentação nas creches - Prefeitura Municipal de Curitiba

Programa incentiva amamentação nas creches
03/11/2010 17:31:00


Em três anos de existência, o Mama Nenê, programa da Prefeitura que incentiva o aleitamento materno nas creches, beneficiou 649 crianças. O Mama Nenê é realizado em 155 Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) e em 47 Centros de Educação Infantil conveniados com turmas de berçário (três meses a dois anos de idade).


Em salas reservadas e confortáveis, as mães podem amamentar os filhos com tranquilidade ou retirar o leite para deixar armazenado no lactário. O leite será oferecido em copinhos, posteriormente, aos bebês, pelas educadoras.


Para receber as mães nas creches, incentivar a amamentação ou administrar o leite armazenado, a Prefeitura capacita os profissionais. O programa já qualificou 266 lactaristas e 3.310 educadores, professores, diretores e pedagogos de CMEIs e de creches conveniadas. O treinamento é contínuo.


"O programa é fundamental, é uma sequência às recomendações do pediatra para garantir a saúde da criança. Ao ser amamentada, ela estabelece um vínculo muito forte com a mãe", disse a diretora do Departamento de Educação Infantil da Secretaria Municipal da Educação, Ida Regina Moro Milléo de Mendonça.


O Mama Nenê soma-se a outras ações da Prefeitura para reduzir ainda mais o coeficiente de mortalidade infantil, como o programa Mãe Curitibana. "Crianças amamentadas até os seis meses exclusivamente com leite materno estão imunizadas e têm a garantia de desenvolvimento saudável. Se a amamentação continuar até o primeiro ano de vida, muito melhor", disse Ida.


No CMEI Curitiba, do bairro Rebouças, oito mães usam o espaço especialmente reservado para a amamentação. Cadeira confortável, quadros com ilustrações de ursinhos e cortinas coloridas tornam o ambiente acolhedor.


A vendedora Kassyane Fernandes, de 26 anos, aproveita o horário do almoço para amamentar o caçula, Cauã, de seis meses. "Adoro vir aqui, não vejo a hora de chegar este momento. Além de contribuir para que meu filho tenha os benefícios da amamentação, esta é uma oportunidade para ficar pertinho dele", contou Kassyane, que também é mãe de Jhonatan, de quatro anos de idade.


Suzamar Donizete Da Silva, de 28 anos, amamenta no peito Nicolas, de sete meses. Ela também deixa uma quantidade de leite reservada no lactário do CMEI, para que ele seja oferecido a Nicolas posteriormente, em um copinho, pela educadora. "Tem que ter paciência para tirar o leite, mas sei que, ao amamentar, garanto mais saúde para meu bebê. Ele quase não fica doente", disse Suzamar.


Ela fez o mesmo com a filha, Nicole, de quatro anos. "Na época eu não estava trabalhando e tive a oportunidade de amamentá-la até os três anos de idade. Ela tem uma saúde de ferro. Sempre que posso, aconselho as outras mães a fazerem o mesmo".

Comentários

  1. Dê ao seu filho o que há de melhor. Amamente!
    Quando uma mulher fica grávida, ela e todos que estão à sua volta devem se preparar pra oferecer o que há de melhor para o bebê: o leite materno.
    É muito importante, tanto para o bebê como para a mãe, amamentar até os dois anos de idade ou mais. O leite materno é o únio alimento que o bebê precisa, até os seis meses. Só depois se deve começar a variar a alimentação.
    Acontece que nem todas as mães sabem de todos os benefícios e deixam de amamentar mais cedo. Você pode ajudar nessa campanha divulgando materias e informações.
    Caso se interesse pelo tema, entre em contato com comunicacao@saude.gov.br e participe!

    Atenciosamente,

    Ministério da Saúde

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas