segunda-feira, 30 de maio de 2011

Sobre colinho

Uma amiga colocou esta frase em seu blog e eu gostei muito já que colo e mamar tem tudo a ver. Sabe aquela história de que colo "acostuma mal" e que bebê que mama no peito "vicia"? Pois é, por isso pensei que caberia certinho neste blog. Leia só:

"Por quê você não desfruta, como mãe, dessa maravilhosa sensação de receber um amor absoluto? Você se sentiria melhor se seu bebê só a chamasse quando tivesse fome, sede ou frio e a ignorasse totalmente quando estivesse satisfeito? Ninguém negaria comida a um bebê que chorasse de fome, ninguém deixaria de agasalhar a um bebê que chora de frio. Você vai deixar de pegar um bebê que chora porque precisa de carinho?"

Faço também a seguinte analogia: quando o bebê é pequenino e quer mamar a cada hora e muitas vezes nos cansamos com esta situação...o bebê quer carinho, quer colo e, porque então não aproveitar, desfrutar deste momento que não volta mais?...

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Desmame natural - o meu conceito

Acho que entendi o que é o desmame.

Além do que disse no outro post sobre desmame natural, pensei em mais uma coisa.

Quando a coordenadora do berçário disse que diminuiria o leite para que ela tivesse fome para comer a fruta foi que me deu este estalo.

As pessoas estão acostumadas a oferecer alimentos porque o leite está diminuindo (uso de chupetas, mamadeira, pega errada, esvaziamento incompleto, entre outros). Este não é o desmame natural.

O desmame natural ocorre quando o bebê sente necessidade de outros alimentos, mesmo mamando bem e em livre demanda. Ele tem a oferta de leite, mama e come e devido ao fato da comida ter mais calorias, ele vai diminuído o número e o tempo das mamadas. A produção de leite passa a se regular para um espaço maior de tempo. O leite não diminui, sua produção é que se adapta à demanda, chegando, em alguns casos, a encher o peito somente na hora que o bebê abocanha a mama. Eu estou quase assim já.

O importante é saber que o desmame natural é um processo que não sofre nossa interferência. O bebê é que manda.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Amamentação e cama compartilhada

Que a “Encantadora de bebês” vá às favas. Marina está dormindo no nosso quarto. Fizemos uma extensão na nossa cama com um sofá-cama e dois colchões de berço para ficar na altura da cama.

Marina acorda mais de uma vez na noite e, a maioria das vezes, quer mamar. Não dava mais para ficar levantando. Meu marido ia buscar e eu amamentava.

Despertávamos muito e, então, aconteceu o previsto. Ralei a lataria do carro em dois lugares diferentes, dois dias seguidos. O sono era demais, já tinha piscado dirigindo várias vezes e, na verdade, acontecer era só uma questão de tempo.

Chorei muito, pelo carro e por tirá-la do berço. Parecia uma incompetência minha. Mas entrei na onda da “redução de danos”. Temos dormido bem melhor, ela mama e já rola sozinha para a caminha dela. E assim, percebi também que ela tinha muito frio à noite, ficava muito gelada, pois fica muito tempo descoberta. Se ela não estivesse ao meu lado, não teria visto.

Durante o dia, ela dorme no quarto, em seu berço, para que não desacostume completamente. Quando ela começar a entender e reduzir as mamadas noturnas, vamos conversando e um dia ela volta pro quartinho dela. Vamos para a linha de pensamento do “não é para sempre”.

E, agora que está bem frio, é até gostoso, ligamos o aquecedor e ficamos todos quentinhos. Cada um no seu espaço.

Minha avó tinha razão. Bebê que mama em livre demanda tem que dormir perto da mãe. Porque que a gente demora tanto a entender?...

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Desmame natural

Nunca imaginei que fosse falar disso tão cedo. Marina está com 11 meses.

Mas pensando bem, o desmame é um processo. Ele se inicia a partir da introdução dos novos alimentos.

E olha que no caso da Marina ainda demorou. Ela teve uns episódios de amamentação exclusiva do sétimo ao nono mês enquanto ainda não aceitava bem os alimentos.

O fato de alimentar-se com outros alimentos e "dar somente uma mamadinha" logo após já é um desmame. Marina tem usado o mamá para conforto de uma queda ao tentar andar, para mostrar o "saco cheio" de uma visita indesejada, para se aquecer, para ficar namorando a mamãe, mexendo no pingente da correntinha... Mamar de verdade mesmo, com aquela vontade de bebê pequeno, somente pela manhã, quando chega da escola e para dormir.

Além disso, ela já tem pedido algumas coisas que vê a gente comendo, pede para comer (às vezes eu ainda demoro a entender...), ou seja, está vendo "mais graça" na comida e entendendo que é preciso comer outras coisas além do mamá.

Marina ainda mantém as mamadas noturnas e estamos dormindo em camas "grudadas" para que possamos dormir melhor. Em outro post eu conto mais sobre isso...

O desmame natural é algo de que a gente não se dá conta. Por isso é natural. Por isso não traumatiza e por isso eu só me dei conta agora. Minha menina está crescendo e este processo lento e gradual nos prepara para o dia em que ela precisará de mim de outra forma que não no mamá...

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Menos um mamá, mais um lanchinho

Marina completou 11 meses no último dia 6 de maio.

Desde que começou os novos alimentos, Marina somente mamava  do almoço até a janta. Assim, desde o oitavo mês eram: água à vontade, suco nas refeições e pela manhã na escola, uma fruta após o almoço e após o jantar e leite materno em livre demanda desde as três da tarde, que é a hora que chego do trabalho. Na escola ela também toma um copo do meu leite às 13 horas.

Mas vi que ela começou a pedir muitas vezes para mamar neste período da tarde que estou em casa e reparei que ela me via comer e parecia ficar com vontade. Na última semana dei biscoitinhos à ela, pois achava que era só vontade.

Até o dia em que ela chorou para jantar mais! Para quem recusou comida dos seis aos quase dez meses... juro que me assustei.

Então, mudei um pouco as coisas. Acrecentei mais uma fruta, só que com algum cereal (como a aveia) depois do mamá da tarde. Então, ao invés de dois mamás antes do jantar, ofereço um mamá mais esta refeição.

Na verdade, esta recomendação é dada para crianças a partir de um ano, é o que chamam de "lanche", mas se ela pediu desde já... a idade é somente uma referência, temos que ter o bom senso de entender nossos bebês.

Fiquei muito feliz com essa nova necessidade da Marina, pois é sinal que está crescendo e aceitando cada vez mais os alimentos de forma saudável. O mamazinho está virando um complemento de lanchinho carinhoso...

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Leite anterior e posterior

Este é o leitinho da Marina que eu
mando para a escola dela
Pela primeira vez acho que consegui fotografar o leite anterior, aquele rico em água, anticorpos e nutrientes e o posterior, mais rico em gordura.

O frasco da esquerda, que é o leite anterior, está com o leite mais acinzentado e fluido e o da direita, que é o posterior, está bem mais branco e denso.

Consegue ver?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...