terça-feira, 25 de setembro de 2012

Desmame gentil



Marina mamando aos dois anos de idade
Aprendi um termo esta semana que acho que define o que faço com a Marina.

Nem desmame natural nem abrupto. Desmame gentil.

Tudo neste mundo agora tem nome, tem definição, não é? Então vamos aderir. Desmame Gentil.

Quando você recusa um tetê por algum motivo, troca por algo, explica porque agora não, você está fazendo o desmame gentil.

Repito sempre que Amamentar é tudo de bom quando é bom para todas as partes envolvidas e muitas vezes, temos nosso momento. De dar de mamar e de não dar também. Por N razões.

Não sei quando Marina vai parar de mamar mas sinto que posso ajudá-la. Por que não quero que se torne uma obrigação. Quando estou cansada, às vezes digo sim, às vezes não. Sem regras. Quando vejo que ela precisa mais de mim, abro mão do meu cansaço e vamos lá, descanso amamentando. Quando não, troco por um carinho, uma brincadeira, uma conversa. Às vezes, amamento falando que o tetê quer nanar e peço se ela pode me ajudar. Ela mama e depois trocamos carinhos. E tem dado certo.

Tabus... é tão difícil falar de desmame sem culpa, não é? Mas vamos lá. Amamentar é tudo de bom. Bom pra gente e bom pra eles e assim, na maioria das vezes, a livre demanda ainda corre solta....

sábado, 15 de setembro de 2012

Mamãe, eu já sou grandona



Minha princesa grandona
Marina agora, depois dos dois anos, passou a dizer: Mamãe, eu sou uma menina grandona!

Anda pedindo para ir ao banheiro, não quer ir no colo, quer andar sozinha, se veste de princesa sozinha, diz que vai trabalhar pra comprar um dinheirinho (kkk), quer sair do box do chuveiro sozinha... enfim...

Eu queria deixar isso aqui registrado porque acho importante este marco dos dois anos. Acho que é um período transicional, ela já sabe que eu e ela somos pessoas diferentes, que fazemos coisas diferentes. Ela tem percebido que, muitas vezes, temos interesses diferentes e ela já vem querendo colocar suas opiniões, suas vontades, com mais justificativas verbais (muitas vezes com birra...) e está buscando lentamente sua independência.

Já sabe onde fica a fruteira e o armário de biscoitos e vai lá quando quer algo. Passeia pela casa com propriedade, sabe onde as coisas estão e quer a todo custo nos copiar em ações, como sentar na mesma cadeira, usar o computador no mesmo local que a gente, nos copia em atitudes (que medo....rsrsrsr).

Acho bacana tudo isso porque sou muito a favor da independência natural, sem apressar... lógico que não dá para ser 100%, Marina foi para a escola com 7 meses porque eu tinha que trabalhar, mas em muitas outras coisas tento respeitar seus limites.

A questão sobre amamentar até os dois anos ou mais acho que tem tudo a ver com isso. Os dois anos marcam uma fase, o início do "ser criança", uma transição onde amamentar faz parte disso para que a criança ainda tenha um refúgio nesse momento tão delicado. Não só emocional como nutricional. Veja isso: Composição do leite materno no segundo ano de vida

Nem sempre eles querem comer como deveriam e nem sempre querem a independência emocional em todos os momentos.

Vamos neste caminho. A amamentação só é legal quando é bom para todas as partes envolvidas e, por enquanto aqui, está tudo indo muito bem, obrigada.

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Tetê com a nenezinha


Marina e o gatinho
Marina nunca teve nenhum objeto de apego. Paninho, bichinho, nada. O único apego dela é o tetê. (kkk)

Mas de uns tempos para cá, os objetos de transição começaram a chegar por aqui.

Marina adora brincar com as bonecas, dá tetê pra elas, papá...leva pra passear... põe no sling... faz comidinha, dá banho...  um dia desses ela pediu pra levar bonequinha para dormir com a gente.

Naquele dia estava um calorzinho fomos dormir na rede. Marina deitou, pegou a nenezinha, abraçou e foi mamar com ela. Mamou abraçadinha na boneca e dormiu.

A bonequinha tem ficado mais presente no seu dia-a-dia e o legal é que a situação vira um espelho pra gente. O que ela faz com a bonequinha é o que ela recebe da gente.

Ela não tem uma boneca de preferência mas achei bacana ela levar a bonequinha para dividir o momento do tetê. Acho que é uma transição. Outros apegos, outros interesses...

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Acordando à noite pra mamar? Aqueça a caminha!



Ainda estamos no desafio das noites...

Marina acorda pelo menos uma vez na noite, como grande parte dos bebês. Acontece que, à vezes a gente fica cansada e tenta fazer alguma coisa para que essa rotina comece a mudar.

O mês de julho aqui em São Bernardo do Campo teve alguns dias de muito, mas muito frio mesmo. Marina não dorme coberta mas eu achava que a roupa que eu colocava nela era suficiente.

Especialmente nesses dias Marina estava acordando muito. E passei a perceber que ela vinha com as perninhas e o rostinho gelados. Meu Deus!!! estou matando a menina de frio!!!! Aí ela vem mamar para se aquecer!

Dito e feito. Na noite seguinte, coloquei uma cobertinha por cima da caminha (sobre o lençol de baixo) e ela se aconchegou naquilo e passou a acordar uma vez só na noite. E tem sido assim desde então...

Ahhhhhh... que maravilha!!!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...