quarta-feira, 3 de outubro de 2012

E Marina dorme a noite toda. Há 30 dias.


Na verdade, isso começou no mesmo dia que o último post (Nanando no colinho), que propositalmente ficou aguardando que eu escrevesse esse daqui.

Esperei todo esse tempo para poder ver se realmente tinha funcionado e até mesmo para que eu pudesse "digerir" (rsrsr) os fatos.

No mesmo dia que Marina nanou no meu colinho, eu havia conversado com ela pela manhã sobre o fato dela mamar à noite.

Já fiz dois posts sobre troca de "tetês" por "carinhos" (Um mamá por um carinho em julho de 2011 e Um tetê por um carinho em fevereiro de 2012) e sempre fui conversando com ela sobre isso, lógico que não exaustivamente, mas quando achava que a oportunidade era bacana, dizia que o tetê precisava nanar...

Neste 1o. de setembro, coloquei ela sentadinha na cama dela, no quarto dela (onde ela não dorme, por sinal) e conversei mais sério sobre isso. Expliquei que à noite tínhamos que dormir, que o tetê precisava descansar junto com a mamãe e que era importante para ela descansar também e que no dia seguinte, eu daria à ela todo o tetê que ela pedisse. Ela me ouviu com muita atenção.

Não esperei resultados. Talvez eu tivesse subestimado o entendimento dela. Conversamos muito. Eu e Marina nos entendemos demais no olhar, nas palavras.

Naquele dia, Marina dormiu. A noite toda. Acordou com o sol. E acordou com o sol por mais de 20 dias. Mamava às cinco da manhã e dormia de novo. E eu dava outro mamá antes dela ir pra escola. Há uns 10 dias, ela vem acordando perto das 8 horas da manhã. Tem feito 10 horas de sono tranquilamente.

Estou muito feliz. Minha pequena está crescendo e eu, feliz da vida e orgulhosa de ter esperado Marina. Ajudei sim. Conversei. Mas se ela não estivesse pronta para isso, não tinha aceitado. Gostaria muito que esse post fosse um incentivo à outras mães que também acordam uma ou muitas vezes na noite para amamentar seus pequenos. Para amamentá-los até que se sintam seguros de passar uma noite inteira longe do nosso corpo, do nosso calor, do nosso coração. Que possam esperar eles terem a certeza de que estaremos sempre ao seu lado, sempre que chamarem e que não precisam mais chamar a noite toda para saber se estamos ali. Paciência. O resultado é emocionante. Fantástico. E recompensador.

Esse tempo não volta mais. Tenho de volta minha noite de sono. E vou te falar uma coisa... nem parece que fiquei 2 anos e 3 meses sem dormir. Aproveitem, minha gente. Marina dorme. E seus bebês dormirão também.

Para finalizar, gostaria de fechar com chave de ouro com este texto da amiga Thaiz: Namoro de madrugada.

E as lágrimas correm... obrigada a todas as que me apoiaram. Essa fase acabou.

3 comentários:

  1. Nossa, me emocionei de verdade com seu texto...Tenho certeza que Marina é uma criança acima de tudo segura, pois vc respeitou o tempo dela, conversou, esperou e isso faz muita diferença no emocional dos nossos filhotes. Theo ainda mama nas madrugadas, mas agora deu para fazer carinho no meu rosto enquanto mama, de olhinhos fechados!!Veja isso!Não preciso de mais nadapara me estimular não é?Esses momentos não tem preço, é um cansaço que vale muito a pena.
    Parabéns a sua mocinha, que cresce, se desenvolve, está uma fofura e certamente uma criança muito feliz!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns sua menininha está tornando-se uma moça linda.

    ResponderExcluir
  3. Que bom Fabi, tudo tem o seu tempo mesmo e não adianta se descabelar nem forçar nossos filhotes quando ainda não se sentem preparados! Tentar convencer e fazer alterações à rotina na base do diálogo é a melhor coisa mesmo, que ótimo exemplo você dá! Que bom que voltou a ter o seu sono noturno!! Júlia deixou de mamar de madrugada faz um tempo e temos outra disposição durante o dia pois tanto ela como eu temos nosso sono descansado sem interrupções e isso faz toda a diferença! Aproveitem!
    E quando é que dona Marina vai querer experimentar dormir na sua caminha heim?! :) Beijos.
    F.Balbi

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...