quarta-feira, 28 de julho de 2010

Quando o bebê machuca o mamilo...

Nota da autora: este post será comentado parte a parte. Não quero ocultar a realidade, assumo tudo o que fiz. Na época, era o que eu pude fazer para aliviar as dores e não tinha orientação. Vou comenta o que for preciso e deixarei o original para não apagarmos a história...


Durante a gravidez, passei bucha vegetal nas mamas todos os dias e não passei nenhum tipo de creme na aréola e no mamilo. (Hoje sei que isso não é necessário, é uma prática desnecessária e que pode causar lesões na pele). No início da amamentação, segui a orientação da amiga Sueli que amamentou 4 anos(!):

Quando a Marina acabava de mamar, eu passava meu leite em todo o mamilo, deixava secar e recolocava o soutien. Fazendo isso, eu não tive uma fissura nem nada! É lógico que isso também só aconteceu porque a Marina fez a pega direitinho.

No entanto, agora minha bebê está tendo muitas cólicas e, no auge das dores, ela vem com muita força para mamar. Na maioria das vezes, ela me machuca, às vezes no mamilo mesmo e outras parece que machuca "por dentro", ficando muito dolorida a amamentação. (essa dor "por dentro" é da passagem do leite pelos ductos, o que pode ser bem dolorido mesmo, com sensação de "machucado").

Quando ela machuca o mamilo eu faço o seguinte:

- Lavo o mamilo com água e passo leite em volta dele. (Não é necessário lavar, apenas passe o leite)
- Depois de seco, passo um creme de calêndula (30% de Extrato) em toda a parte machucada e coloco a concha coletora e deixo por aproximadamente 8 horas com este "curativo" sem ela mamar. (O creme de calêndula não deve ser usado, não há comprovação de seu efeito na fissura e o bebê não pode mamar este creme. a concha é uma armadilha, os benefícios que ela produz não superam os riscos. Conchas podem causar mastite, mais empedramento, candidíase e diversos outros problemas. Ordenhar a mama antes do bebê mamar a fim de "amaciar a aréola" traz esse benefício de ajudar o bebê a pegar a mama, sem os riscos do acessório).
- Passado este tempo, lavo bem para retirar o creme com um sabonete líquido de calêndula (marca Granado), seco bem e volto a dar de mamar naquela mama. (Lavar frequentemente retira a proteção natural da aréola que é mantida lubrificada pelas glândulas de Montgomery).

Vou fazendo isso até cicatrizar (no meu caso, como não espero machucar muito, uma vez só normalmente basta). (Para evitar ou cicatrizar fissuras, basta o bebê fazer a pega correta).

Quando ela machuca "por dentro" eu faço o seguinte: (Como disse anteriormente, o bebê não machuca "por dentro", esta é a dor que sentimos quando o leite passa pelos ductos, não é necessário fazer nada, aliás, não há o que fazer. O que alivia é pensar no bebê ao amamentar, relaxar os ombros, evitar soutiens de abertura parcial, preferir os de abertura total ou até mesmo amamentar sem o soutien. Sendo assim, desconsidere toda informação abaixo, com exceção da doação de leite. Doe leite materno!)  
- Lavo o mamilo, seco bem e coloco a concha coletora (veja foto abaixo).
- Deixo a mama machucada, com a concha, "descansando" por mais ou menos 8 horas.
- Mais ou menos na metade do tempo, eu tiro um pouco do leite com ordenha manual (este excedente eu doo ao Banco de leite).
- Passadas as 8 horas, já na hora do banho, massageio a mama (que à esta hora já está MUITO cheia) com as duas mãos em forma de concha e deixo a água morna cair sobre a mama.
- Saio do banho e dou de mamar naquela mama.

Estarei mentindo se falar que não vai doer nada, mas já dói bem menos do que se eu insistir o dia todo nesta mama logo depois de machucar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...